Performance

Em Nome da Razão / Yuri Tripodi (BA)

13/7 | 20h

Quem ordenou que nossos corpos e vivências se tornem exposição sem o nosso consentimento?

“Em Nome da Razão” investiga a relação entre a loucura e a sociedade contemporânea, alicerçada em uma perspectiva que reconfigura estados e sensações vivenciados pelo autor a partir de processos psicóticos e de internamento. “Em Nome da Razão” coloca a voz da experiência do sujeito em primeira pessoa, contando sua própria história, ao invés de um olhar clínico e distanciado sobre o fenômeno, visão esta que geralmente predomina quando tratamos dessa narrativa. A partir de três movimentos – o espelho, intensidade descodificante e a dança da loucura –, o solo ganha seus contornos através da contenção. Problematiza a espetacularização do surto, a falácia de muitas classificações “delirantes” da psicopatologia e evidencia o histórico perverso do tratamento em saúde mental e seus resquícios atuais. “Em Nome da Razão” ganha seu título a partir do documentário de Helvécio Ratton sobre o hospital psiquiátrico brasileiro de Barbacena.

Vislumbra expor e questionar a complexidade do contrato social que rege a sociedade contemporânea no que diz respeito aos processos mentais e como os modos de ação firmados a partir de tal contrato podem causar sofrimentos intensos e incomensuráveis.

É preciso “conservar a faculdade do sentir”.

A performance integra o projeto de mestrado ‘o corpo da loucura na contemporaneidade: um manifesto autoetnográfico’.

Ficha Técnica:
• Concepção e performance: Yuri Tripodi
• Cenotecnia: Marcos Nunez (Miniusina de Criação)
• Roupa: Nancy Torres
• Filme/imagens: Daniel Guerra
• Registro: Thaís de Melo e Pedro Matos
• Fotografia: Ana Luiza Abreu

Classificação indicativa: 18 anos

CONHEÇA YURI TRIPODI